quarta-feira, 23 de maio de 2012

Los Hermanos - Turnê de 15 Anos - BH 21/05/2012

"É preciso força pra sonhar e perceber 
que a estrada vai além do que se vê [...]"


Para falar do show de ontem do Los Hermanos em Belo Horizonte e da impressão que ele me causou, preciso antes voltar um pouquinho no tempo, para relembrar, mesmo que de forma bem superficial, a trajetória da banda e a importância dela para a cena musical brasileira... Todos devem lembrar de quando a música Anna Júlia estourou nas paradas nacionais em 1999 e das apresentações da banda nos principais programas de auditório do país, contudo se engana quem pensa que eles conquistaram este sucesso estrondoso da noite para o dia, a história já tinha começado dois anos antes na efervescente cena underground carioca. Antes de lançar o primeiro álbum, autointitulado, eles já tinham gravado algumas demos e conquistado um público pequeno mas fiel na cena indie. Na ocasião o som da banda era um misto de hard core com arranjo de metais que remetiam ao samba antigo das fanfarras e as letras eram em sua maior parte sobre desilusões amorosas. A grande oportunidade surgiu quando Paulo André, organizador do festival Abril pro Rock, que acontece mo Recife, foi atraído pela originalidade da banda e a chamou para integrar o cast da edição do festival de 1998. Após este show no Pernambuco, que também seria lançado de forma independente, a banda fechou contrato com a gravadora Abril Music, começaria ali o hype que os transformaria em um curto espaço de tempo na "melhor banda de todos os tempos da última semana"...

Passada esta efervescência o Los Hermanos teve que enfrentar o risco de se tornar uma dentre tantas bandas de apenas um sucesso (aquelas que duram apenas por um verão). A opção feita pela banda foi a de seguir em frente, mas na contramão daquilo que o hit Anna Júlia significara para eles até então, tal postura gerou conflito com a gravadora que chegou a recusar a mixagem final do disco em determinado momento do processo de produção. Após muitos vai e vens o disco chegou ao mercado... Este segundo Álbum, intitulado Bloco do eu Sozinho (2001), já denotava um grande amadurecimento nas composições, tanto nas letras quanto nos arranjos, todavia a "evolução sonora" tirou quase todo o apelo comercial que o disco poderia ter tido, sendo assim a solução estava em mirar mais uma vez para a cena alternativa e foi isso que eles fizeram, eles não voltaram a ser independentes, mas conseguiram a partir de então estabelecer um bom trâmite entre o mainstrean e o underground

O 'cara estranho' da foto sou eu e este é o cartaz da turnê.
A maturidade musical seria alcançada no próximo disco, Ventura (2003), que é na minha opinião o disco nacional mais importante da década passada, e seria ainda aperfeiçoada no quarto álbum, intitulado simplesmente de 4 (2005) - este foi ainda menos "vendável" que seu antecessor, por ser bem mais melancólico e experimental. O distanciamento do Los Hernanos do circuito comercial, que foi muito criticado na época, o favoreceu e muito, com este posicionamento a banda conquistaria o respeito e a admiração de um público que não estava tão sujeito às turbulências da indústria cultural e do mercado fonográfico... Em 2007, no ápice de sua trajetória artística, a banda anunciou que entraria em um hiato por um tempo indeterminado, segundo eles esta seria a oportunidade de cada um dos membros investirem em suas respectivas carreiras solo. O afastamento dos palcos não fez diminuir o culto à banda, pelo contrário, e os constantes boatos sobre uma possível volta não pararam desde então. Alguns shows esporádicos foram  realizados durante este período, mas nada de tão significante, até que no final do ano passado foi anunciada esta turnê na qual a banda se reuniria para comemorar os 15 anos que se passaram desde sua primeira apresentação... 


Algumas das canções do Los Hermanos serviram de trilha sonora para um período de minha vida, no qual eu vivia uma ebulição de sentimentos que nem eu mesmo conseguia compreender, talvez por isso elas tenham ganhado um lugar especial em minha memória afetiva, eu me reconhecia em algumas delas e outras pareciam descrever precisamente situações que eu estava vivendo. Creio que isso não aconteceu só comigo, talvez venha desde mesmo fenômeno uma boa parte dos atuais fãs da banda. Ao meu ver esta identificação acontece porque as canções da banda possuem uma alma, elas têm algo de verdadeiro em suas letras e na forma com que são interpretadas, coisa da qual a música brasileira que toca nas rádios está carente já há um bom tempo. O Los Hermanos consegue falar de amor e de sentimentalismo sem ser piegas e a poética de suas canções está em um nível bem superior ao de outras bandas e artistas que se propõem a falar dos mesmos temas. De uma forma muito bonita eles conseguem nos mostrar através de suas letras que realmente "a estrada vai além do que se vê" e que ainda é possível acreditar no amor, ainda que o sofrimento seja inerente a ele...


Desde que foram divulgadas as datas dos shows eu já estava certo de que queria ir, na verdade eu precisava de ir, basicamente por dois motivos: Primeiro, porque apesar de gostar tanto da banda, eu nunca tinha ido à uma apresentação dela, eu tinha perdido a oportunidade de ir em um show que aconteceu em Juiz de Fora pouco tempo antes deles anunciarem a separação. Segundo, porque este poderia ser simplesmente um dos últimos shows, portanto uma das últimas oportunidades de eu curti-los ao vivo. A verdade é que eu ainda tinha sérias dúvidas de que o "hiato", no qual a banda se encontra até hoje (a turnê por si só não a tira dele), poderia de fato um dia acabar...

De acordo com o que fora divulgado, seriam à principio duas datas em BH, 19 e 20 de maio, para mim estava perfeito. Devido ao meu trabalho o dia 25, que seria um sábado, era sem dúvidas a melhor data. Combinei com um amigo de irmos juntos e ficamos atentos ao dia no qual se iniciaria a venda dos ingressos. Sem me preocupar tanto, no data marcada eu entrei no site no qual os ingressos estavam sendo vendidos cerca de três horas depois do início da comercialização e para minha surpresa eles já estavam esgotados para as duas apresentações, foi uma decepção enorme...


Alguns dias depois foi anunciada uma terceira data, 21/05, uma segunda-feita (!); mesmo sabendo que aquele seria um dia de trabalho e que a capital mineira fica a 5 horas de minha cidade eu não desisti, na data da venda, alguns minutos antes da hora marcada, eu, que estava de férias, já estava conectado atualizando a página para garantir um rápido acesso aos ingressos  (o meu e o do meu amigo) antes que eles se esgotassem novamente. Toda esta precaução não adiantou de nada, logo que foi aberta a comercialização o site travou devido ao enorme número de acessos, fiquei mais de duas horas na frente do computador esperando um retorno do sistema, até que a página foi atualizada com a mensagem "ESGOTADO", desta vez já não era decepção o que eu sentia, era RAIVA! Mas, por incrível que pareça, entrei novamente no site algumas horas depois já no final da tarde e consegui comprar os bilhetes. Pelo que disseram na página do evento no facebook, simular o esgotamento dos ingressos foi uma estratégia do site para solucionar o bug, o que aparentemente deu certo. Não demorou muito e os ingressos esgotaram de verdade, felizmente os meus já estavam garantidos...


Consegui negociar folgas no trabalho para segunda e terça-feira e cheguei em BH no domingo à noite. A minha expectativa já era a melhor possível, eu já tinha a noção de que todo o esforço despendido valeria a pena, só não tinha nem ideia do quanto... O show começou praticamente sem atrasos e a abertura foi feita com a canção O Vencedor, a segunda faixa do disco Ventura, e o que se seguiu foi algo apoteótico, catártico... A banda estava em um sintonia perfeita com o público, que cantou junto cada uma das canções. O longo período de recesso não parece ter sido um problema, a banda estava muito bem entrosada e em plena forma. O ótimo repertório trouxe músicas dos quatro discos, inclusive algumas do primeiro, que raramente eles tocavam ao vivo; no entanto eu senti falta de algumas como Tudo que Sobrou e Do Lado de Dentro, no entanto a falta destas foi compensada pela execução magistral de outras de minhas favoritas da banda como Sétimo Andar (que pode ser conferida abaixo, no vídeo de péssima qualidade que eu fiz), Ultimo Romance, Condicional e Cara Estranho...


Tivemos o privilégio de ficar em um lugar bem próximo ao palco, de onde pudemos apreciar plenamente o maravilhoso espetáculo musical... O local estava lotado, tanto a pista quanto as arquibancadas, em alguns momentos foi possível sentir o chão tremer (o show foi realizado no segundo andar do prédio) tamanha a reação do público às canções. Eu olhava à minha volta e me perguntava: Qual outra banda surgida nos últimos vinte anos conseguiria lotar três shows seguidos em um mesmo local, sendo um destes em uma segunda-feira? A falta de respostas só fazia crescer o meu respeito e a minha admiração por eles. A apresentação durou cerca de duas horas e quinze minutos e ao final dela eu tinha certeza de que eu presenciara algo único, eu acabara de assistir um dos shows de uma turnê que provavelmente entrará para a história, caso a banda não se reúna novamente... Contrariando as minhas previsões, uma esperança em relação ao fim do hiato, nos foi dada pela própria banda que incluiu uma música inédita no setlist, muito boa por sinal. Contudo eu ainda tenho dúvidas se esta canção estará em um provável quinto disco da banda, ou no disco solo do vocalista e guitarrista Rodrigo Amarante, que será lançado ainda este ano... Apesar de meu ceticismo, torço para que eles voltem e de preferência com mais um disco de inéditas! 


Não deixem de conferir aqui no Sublime Irrealidade a resenha crítica do disco Toque Dela, o segundo solo do vocalista e guitarrista Marcelo Camelo!

24 comentários:

  1. Bah, browzão, nem ia comentar nada aqui. Às vezes é melhor ficar quieto do que criticar gostos e falar merda.

    Mas só para me explicar, não li o post simplesmente pq acho Los Hermanos o fim da várzea.

    Já entrei em algumas discussões com amigos e inimigos sobre a banda, e no final cheguei apenas a uma conclusão: que esse assunto não valia mais eu debater com ninguém. Hehehe.

    Enfim, é isso. Fico no aguardo para o próximo post.

    Abraçãoo

    ----
    Site Oficial: JimCarbonera.com
    Rascunhos: PalavraVadia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinta-se a vontade Jim, eu respeito sua opinião, na verdade eu às vezes fujo das bandas/filmes/artistas que são unanimidades, pois penso que a apreciação artística é no fim das contas pessoal e algo que pode lhe chamar a atenção pode não despertar o meu interesse e vice e versa...

      Abração cara!

      Excluir
  2. Olá Bruno pelo jeito vc é fã mesmo da banda, não acompanho mas sei que é uma banda talentosa que fugiu do circuito comercial e tem um publico cativo que a acompanha,

    Muito gostoso ir a Shows qdo somos muito fãs, assim como vc descreveu que faz parte da nossa história, em outubro eu irei ver o Elvis Presley in concert em São Paulo, e já estou p lá de ansiosa, e não, eu não sou tão velha, mas o Rei fez parte da vida da minha mãe e acabei herdando essa paixão dela! Abraçooooss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Kellen, eu acho muito legal também, não cheguei a profundar nisso no post, mas o que sinto em relação às músicas do Los Hermanos é uma espécie de empatia, é como se num daqueles períodos mais difíceis, nos quais ninguém consegue lhe compreender, você encontrasse alguém que sentisse as mesmas coisas e mesmo sabendo que se trata tão somente de uma criação artística, aquela música passa a ser para ti uma espécie de cúmplice...

      Com outras bandas eu desenvolvi "relações" diferentes, algumas tão marcantes quanto, outras mais, outras menos, por isso compreendo o tipo de "relação" que você tem com a obra do Elvis...

      Excluir
  3. Que bacana Bruno, pelo jeito deve ter sido mesmo muito bom, hein?

    http://monteolimpoblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Bruno,

    Tudo bem? Percebi o entusiamo e informações que você tem pela banda. Nunca fui fã da banda e n o máximo curti Ana Júlia, mas o show me pareceu extremamente convidativo.

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciana, eu lhe recomendo o terceiro CD da banda, chamado de "Ventura", ele é simplesmente maravilhoso, como eu comentei no post, eu o considero o disco mais importante da década passada, todas as canções dele são marcantes para mim, as letras (que são sublimes), as melodias, os arranjos... escute!!!

      Excluir
  5. Ola Bruno,
    De fato não é uma banda cujo som me atraia, mas admito que eles tiveram um papel importante na última década no cenário da música brasileira... E fico muito chateado com as aberrações cometidas pelas gravadoras tentando "comercializar" o som das bandas, o que prejudicou um pouco a carreira do Los Hermanos.


    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não creio que tenha prejudicado Flávio, não de forma relevante, eles souberam se distanciar no momento certo...

      Excluir
  6. Bruno, vc gosta mesmo de Los Hermanos, heim!? Eu já havia percebido isso, em seus comentários pelo facebook e em conversas que tivemos. Vou confessar que nunca parei para ouvi-los. Só escuto quando está passando em algum lugar, mas sem que eu escolha!

    Não tenho opinião formada sobre a banda. Nem como boa, ou ruim. Mas, seu texto trouxe uma espécie de histórico à respeito do grupoo!

    bjks JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para conhecer a banda, da melhor forma possível, eu lhe recomendo os dois últimos discos, eles são obras primas em minha humilde opinião, as letras são maravilhosas...

      Excluir
  7. Inveja, perdi essa turnê, por pura preguiça...
    Vi show dos os Hermanos com 20 pessoas na plateia.
    Quem não gosta, só posso lamentar.
    A melhor banda brasileira de muitos anos.
    Grande Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente Celo, é a melhor banda brasileira dos duas últimas décadas!

      Lamento por aqueles que não gostam e mais ainda por aqueles que só ouviram 'Ana Júlia' e dizem que não gostam, não sabem o que estão perdendo!

      Excluir
  8. Brunão, assim como vc amo demais essa banda, tenho escutado ela desde 2002 mais ou menos, e o disco Bloco do eu sozinho é o melhor deles sem dúvida, este ano eles vieram aqui para Pernambuco novamente no Abril pro Rock, eu até iria ver, mas foi no dia do show de Paul McCartney, e não tive escolha, fui ver o velho Macca, mas em outra oportunidade eu os vejo, já que retornaram. Ótimo post, bom gosto vc tem, kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neste caso eu também trocaria, afinal a chance de ver um show do Pual é bem mais escassa, ainda que o hiato do Los Hermanos permaneça...

      Só discordo de você em uma coisa, o melhor disco é 'Ventura', depois dele o '4' rsrsrsr

      Excluir
  9. Sensacional sua descrição... Lendo, parece até que as palavras eram minhas... rsrsrs Ontem foi o show no Rio! Lindo Lindo Lindo! Compartilho de muitos sentimentos como os seus! Também nunca tinha ido a um show dos LH, por pura burrice e me perguntava "Será que eu vou morrer sem ver um show deles?!(rs)"Não é possível!!!" Na compra do ingresso tive grnades problemas e fiquei mega triste "Será que não vou consegui..." Mas graças a Deus consegui e hoje estou super feliz e realizada! Queria ir em todos do Rio, contudo só conseguir comprar os ingressos de ontem! Quero de novo e de novo e de novo... Eles precisam voltar!!!!!! Tem que voltar!!!!!!!!!! Não podemos viver sem eles!!!!!!!!!!! Acho que são 6 show aqui no Rio, todos lotados e varias pessoas sem ingressos! O LH é a melhor banda de toda uma geração e que anda conquistando a nova geração, eles não podem nos abandonar. Ainda tem muitos acordes novos, poesias novas dancinhas novas que eles podem nos mostrar! #volta Los Hermanos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bia, seja bem vinda!
      Eu também me senti imensamente realizado por ter conseguido ir ao show, não sei, mas tenho a impressão de que esta turnê entrará para a história e tenho o orgulho de dizer que nós fizemos parte dela!

      Excluir
  10. Para nós que somos fãs, é quase indescritível. Fui ao show do dia 19/05. Incrivelmente perfeito!!! Ao ouvir O Vencedor e Sentimental, só me restaram as lágrimas ("Me faz chorar ... e é feito pra rir"). Felicidade constante desde então =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem o você sentiu Barbata, o show do dia 21 também foi perfeito, é sem dúvidas um dos melhores shows que já assisti, o momento que tocaram sentimental foi sublime, me emociono só de lembrar!

      Excluir
  11. "Algumas das canções do Los Hermanos serviram de trilha sonora para um período de minha vida, no qual eu vivia uma ebulição de sentimentos que nem eu mesmo conseguia compreender, talvez por isso elas tenham ganhado um lugar especial em minha memória afetiva, eu me reconhecia em algumas delas e outras pareciam descrever precisamente situações que eu estava vivendo".
    Com certeza, não foi só com você!!!

    Cara Estranho, Todo Carnaval Tem seu Fim, O Vencedor... nossa, quantas músicas deles ficam nessa memória afetiva!
    Os "fãs de modinha" que achavam que Los Hermanos=Anna Julia devem ter ficado decepcionados com os outros trabalhos deles.. mas com certeza a banda tem fãs cativos durante todos esses quinze anos.
    Parte da minha vida pasosu diante de meus olhos, enquanto eu lia seu texto.
    Abraços e bom domingo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina o quanto de minha vida passou diante de meus olhos durante o show, por isso teve tantos momentos em que eu me emocionei... É como se eu visse diante de meus olhos, momentos de alegria, de tristeza e revivesse dores e outros sentimentos de outrora... foi maravilhoso!

      Excluir