domingo, 10 de abril de 2011

O Besouro Verde

O Besouro Verde (The Green Hornet) - 2011. Dirigido por Michel Gondry. Roteiro de Seth Rogen & Evan Goldberg. Música de James Newton Howard. Direção de Fotografia de John Schwartzman. Produzido por Neal H. Moritz. Columbia Pictures / EUA.

 

O lançamento de O Besouro Verde (2011) marcou o início da nova invasão de super heróis nas telonas, que ainda deve dar o que falar neste ano. Muitos outros mascarados e/ou super poderosos vêm por ai. A maior expetativa em torno do lançamento deste filme se devia à equipe, que convenhamos não era nada convencional. A direção, depois de várias especulações, acabou ficando com Michel Gondry, diretor de filmes indies como Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (2004). O papel principal, do herói, foi representado por Seth Rogen, ator obscuro de veia cômica, que tem raízes fincadas na stand-up comedy e não menos estranha foi a escolha de Jay Chou para interpretar a parceiro do herói (papel que fora de Bruce Lee no seriado exibido na década de 60, que se tornaria cult com o passar dos anos). Jay Chou é um mega astro de música pop, “conhecidíssimo no oriente e desconhecidíssimo no ocidente”, ele não era ator e não sabia falar inglês, quando foi convidado para fazer os testes para o papel. Conforme contou em entrevista, Chou nunca tinha precisado fazer teste para nada antes deste convite.

Quando interrogado sobre se pretendia fazer um filme artístico ou um grande brokebuster, Michel Gondry, sem pensar conforme conta, disse apenas que queria fazer um grande filme comercial. Muitos fãs do diretor devem ter torcido o nariz com esta declaração, outros tantos devem ter tido a curiosidade fomentada. O resultado desta mistura improvável deixa bem claro que o diretor não estava sendo irônico ou blefando ao dar a declaração. O Besouro Verde não vai muito além do que outros filmes do gênero propõem em matéria de reflexão e profundidade de roteiro. A história é bem simples e se apóia nas boas sequências de ação e nas pitadas de humor que são espalhadas no decorrer de toda a história.

 

A história do herói (ou seria anti-herói?) também não é nada convencional, Britt Reid é um playboy que vive às custas do pai milionário. Quando o pai morre repentinamente, ele se vê na obrigação de conduzir os negócios do velho, dentre eles um jornal de grande circulação. É neste período, em que está completamente sem rumo, que Britt conhece Kato, o mecânico e fazedor de cafezinho(!) de seu pai. Kato é o personagem mais interessante da trama, ele é na verdade mais do que um simples mecânico, ele já vinha a algum tempo trabalhando em alguns projetos para o pai de Britt, que se tornara paranóico em relação à própria segurança. À medida que vai descobrindo os dotes de Kato, Britt começa a querer se aproveitar destes dons para encontrar algum sentido para a sua vida monótona. É assim que acaba nascendo o Besouro Verde. Após descobrirem que podem ajudar pessoas e assim satisfazem os próprios egos, eles passam a sair fantasiados à noite para combater a criminalidade na cidade. Britt usa o jornal que herdou para dar visibilidade ao Besouro. O que eles não imaginavam é que a brincadeira de bancar os vigilantes ia mexer com os interesses de gente perigosa, como o mafioso local (Christoph Waltz, mais uma vez roubando a cena).

 

O Besouro Verde é legal e melhor que muitos outros longas de heróis que estrearam nos últimos anos. Mesmo que você, assim como eu, não tenha assistido a nenhum dos 26 episódios da série dos anos 60 e tão pouco ouvido as transmissões das aventuras do herói na rádio, nos anos 30 nos EUA, o filme vale como uma boa diversão, daquelas indicadas para qualquer público, por não ter pretensões audaciosas, nem elementos complicativos, que possam dificultar a compreensão do espectador médio. Meu único medo é de que esta experiência hollywoodiana venha a desestimular Michel Gondry de investir em projetos mais autorais, que me agradam muito mais que os "comerciais". Independente de qualquer coisa, fica a minha dica de um bom filme para uma boa sessão pipoca!


Do diretor Michel Gondry, indico também Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (2004).

Assista ao trailer de O Besouro Verde no You Tube ! (clique no link)
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário