terça-feira, 3 de maio de 2011

Sexta-Feira 13 - Aumenta que Isso aí é Rock´n´Roll


Ainda tenho o orgulho de dizer, que vivi aquela, que deve ter sido até então a melhor fase do circuito musical underground em Ubá. O período entre o inicio da década de 2000, até 2005/2006 foi o mais produtivo para a cena, creio eu. Durante um bom tempo, shows aconteciam com grande frequência e as bandas pipocavam pelos pelas garagens da cidade. A boa fase não durou muito, as casas que nos abriam as postas, fecharam e o município se tornou muito mais rigoroso quanto à presença de menores (que representam boa parcela do público) em eventos abertos ao público, a maioria das bandas se desfizeram e as poucas que sobraram só tocam esporadicamente. Por vários motivos, a maioria deles involuntários, acabei me distanciando um pouco da cena nos últimos anos, durante este tempo acompanhei as coisas meio de longe, sem me envolver tanto quanto antes. Atualmente a cena ainda me parece estranha, existe uma galera nova que parece mudar a cada contato que eu tenho com o meio.

A show do Sexta-Feira 13, no último domingo, foi uma boa forma de sair de minha reclusão e reencontrar velhos amigos. Sainos de Ubá em um micro-ônibus fretado em direção a Cataguases, a turma de malucos que acompanharam a banda, era formada e sua maior parte pela galera que viveu o mesmo período que eu, talvez seja uma prova de que os novatos não têm mais a mesma consciência de cena, que tínhamos num passado não tão distante, não sei explicar o motivo. O público do show não foi a minha única surpresa, este foi o segundo show que assisti do S13, o primeiro foi no ano passado no 2° Ubá Rock, porém desta vez a banda me surpreendeu ainda mais com a sua proposta e postura.


.
O S13 já merece grande mérito apenas pelo fato de ser original, numa cena que já foi povoada por tantas cópias “xerox” de Iron Maiden e Nirvana. O S13 é a volta ao básico, à filosofia sexo, drogas (leia-se biritas) e rock´n´roll e ao som visceral, escrachado e debochado. Este segundo show mostrou que a banda está mais concisa e entrosada e que já tem a segurança de se apoiar nas músicas próprias sem precisar abusar dos covers. Por falar em covers, eles têm sido muito bem escolhidos, as versões têm ficado a cara da banda e ajudado a compor a temática “cafajeste” que esta vem desenvolvendo. Se boas referências, bagagem e tempo de estrada é o que conta, o S13 ganha mais um ponto extra de vantagem, cada um de seus integrantes trazem já consigo influências distintas e um curriculum extenso, preenchido pelas atuações em algumas das bandas mais importantes da cena nos últimos anos.



Voltando ao Show, que aconteceu no La Rock em Cataguases, tenho que reconhecer, o evento tinha tudo para, digamos, não dar certo. Ao contrário do que o nome sugere, o público do estabelecimento não era, ao menos naquele dia, composto por amantes do bom e velho rock´n´roll, para complicar ainda mais as coisas era o dia da final de um campeonato estadual de futebol, o que explicava as cores de camisa predominantes no local. Grande parte do pessoal, que lá estava, não tinha ido para ver o S13 e sim para assistir à bendita partida. Quando o jogo acabou, a torcida perdedora sumiu e os vitoriosos começaram a algazarra do lado de fora. O campeonato em questão era o carioca, o vencedor o Flamengo, dispensável dizer que o que se ouvia em frente ao bar, em alto e péssimo som, era o batidão do funk carioca. Mas bastou o S13 plugar os instrumentos par a verdadeira festa começar. Quem estava do lado de dentro presenciou um ótimo show e boas doses do mais puro e verdadeiro rock´n´roll, o pequeno garoto (de uns 3 anos), que bateu cabeça e pulou o show todo que o diga.


O Sexta-Feira 13 já está trabalhando em seu primeiro CD, que deverá se chamar “Baseado em Fatos Reais”. Se a banda conseguir reproduzir em estúdio a energia que tem emanado de suas apresentações (com destaque para a postura de palco do vocalista), estará nascendo aí um daqueles trabalhos, que podem não levar a banda ao sucesso, mas que ficará marcado como um importante exemplo da retomada do underground ubaense, que começa a dar ares de que irá acontecer... É esperar para ver!

A S13 é composta por: Big Mayck (bateria) , Anselmo (guitarra solo), Thiago Braga (guitarra líder), Markin (vocais) e Braga (baixo).
 
Acessem o My Space do Sexta-Feira 13 e conheçam melhor o trabalho da banda, clique AQUI !

.

7 comentários:

  1. Po, bacana a nota!!!
    Posso dizer que vivi tanto essa fase que vc citou como talvez uma fase ainda mais under. Entre os anos 93 e 2000 a cena era outra! Não se podia andar de skate nas ruas da cidade como hoje e as bandas tinham outra filosofia, talvez propostas mais indies ou alternativas. Concordo que a fase citada por vc teve seus pontos positivos tais como lugares dispostos a abrir as portas para o rock'n roll mas, sinceramente, ainda prefiro a fase 93/2000!!!
    Fica aqui minha congratulação pela nota e que o underground/rock'n roll ubaense nunca morra!!!
    Abraços,
    Ricardo Bocão

    ResponderExcluir
  2. Nó Zé!!! muito massa!! ^^
    Achei muito fodona a resenha!!!

    ResponderExcluir
  3. LEGAL GOSTEI DA RESENHA!
    E CONCORDO COM O QUE DISSERAM EM RELAÇÃO A CENA UNDERGROUND A CINCO ANOS ATRÁZ,PORÉM ACREDITO QUE NÃO FAZ SENTIDO DIZER QUE A GALERA DE HOJE ESTÁ FORA DISSO,AFINAL O QUE FAZIA A CENA NAQUELA ÉPOCA ERA OS NOVATOS DAQUELA ÉPOCA, NÃO SEI SE VÃO ENTENDER MAIS EU SÓ ACHO QUE TODOS NO GERAL NÃO CONTRIBUI PRA QUE ESSA ÉPOCA FIQUE NA MEMORIA DOS JOVENS,ACHO QUE FALTA OPORTUNIDADE PRA ESSES NOVATOS MOSTRAREM A CARA E APOIO DOS "VELHOS NOVATOS",INSENTIVO TALVEZ...
    ANTES A GALERA CORRIAM ATRAZ PRA QUE AS COISAS ACONTECECEM HOJE NÃO CORREM E NEM DÃO FORÇA PARA OS NOVATOS CORREREM E SEM OPORTUNIDADE COMO QUEREM QUE AS COISAS FLUEM?...ALEM DO MAIS OS TEMPOS MUDAM ND VAI SER IGUAL MAIS TEM QUE SER UM DIFERENTE QUE MARCA COMO FOI ANTES...EU TBM NÃO POSSO FALAR MUITO VIVI AQUELA ÉPOCA E SINTO FALTA HOJE NEM MORO MAIS EM UBÁ MAIS CONCORDO QUE COM TUDO ISSO QUE FALAM É UMA DAS CIDADES QUE TEM MUITO PRA CRESCER TANTO EM MATÉRIA DE MUSICA COMO EM MATEÉRIA DE FÃS...
    QUANTO A BANDA NUNCA OS VI TOCAR MAIS POSSO AFIRMAR QUE É DE BOA QUALIDADE PELA A FORÇA E A PERCISTÊNCIA DESSAS PESSOAS QUE FAZEM DE TUDO PRA MANTER AS RAIZES ROCK'N ROLL DO POVO DESSA CIDADE QUE NÃO TA NEM AI PRA ISSO...PARABÉNS MENINOS E BOA SORTE SEMPRE....

    PS:AH E VCS TEM TODO DIREITO DE DISCORDAR...

    Indi

    ResponderExcluir
  4. ah esqueci de todas as virgolas se poderem coloquem enquanto forem lendo...rsrsrs desculpa ai

    ResponderExcluir
  5. Em momento nenhum disse que a galera de hoje está fora disso, pelo contrário, reconheço cada uma das dificuldades de hoje e sei o quanto é difícil fazer uma cena se mover... Na verdade acredito que se há um problema que perdura em Ubá desde sempre, este é a falta de consciência de cena, pois na maioria das situações apenas enxergmos a nós mesmos, a nossa própria banda, ou turma e esquecemos que somos parte de algo maior, que poderia estar melhor organizado...

    ResponderExcluir
  6. é pena que aqui em Araraquara-sp só tem pagodeiro, mas quando tem um evento de rock não perco um, reunir a galera e curtir um som não tem preço, sei bem o que é isso, sou fã do blog ( faz tempo ) kk http://futrockmma.blogspot.com/ se der passa lá, abraço

    ResponderExcluir