domingo, 23 de outubro de 2011

Joana d'Arc de Luc Bessom

Joana d'Arc de Luc Bessom (Jeanne d'Arc) - 1999. Dirigido por Luc Besson. Escrito por Luc Besson e Andrew Birkin. Direção de Fotografia de Thierry Arbogast. Produzido por Patrice Ledoux e Luc Besson. Gaumont / USA | França.

 

Meus últimos dias foram no mínimo agitados, o tempo escasso e inúmeras preocupações chegaram a quase me paralisar e isto explica em parte a minha recente inatividade aqui na web. Nos poucos momentos de calmaria a única coisa que consegui assistir foram alguns episódios da segunda temporada do seriado Friends, que comprei recentemente. Em meio a esta loucura do cotidiano, enquanto o tempo voava, a minha lista de filmes na espera para serem assistidos só aumentava... Por causa de uma indicação cheia de entusiasmo do amigo Cristiano Contreiras, editor do Blog Apimentário, resolvi deixar outros títulos para depois e assistir Joana d’Arc de Luc Bessom (1999). Este filme pode não ser o tipo de épico/histórico que se torna facilmente uma unanimidade entre fãs do gênero, mas é um ótimo filme, sem dúvidas, engrandecido por uma belíssima fotografia e por um excelente roteiro. Ao recontar a história da maior heroína francesa, o longa constrói um olhar quase intimista sobre a vida, a trajetória, os sentimentos e principalmente as dúvidas da personagem principal.

Tal como sempre faço em análises de filmes inspirados em fatos em fatos reais, nesta resenha deixarei um pouco de lado a história verídica e focarei a trama do longa. Fica evidente no decorrer do filme, que um dos interesses de Luc Bessom era de alguma forma desconstruir o mito criado em torno da mártir. A Joana d’Arc do filme é uma jovem cheia de fé e coragem, mas é também alguém que tem temores e traumas, que a tornam por vezes cruel e vingativa. Talvez a maior genialidade do roteiro tenha sido deixar em aberto as questões acerca do direcionamento divino e dos sinais que ela afirmava ter recebido. Entre a religiosidade, a loucura e a coragem, ela consegue se fazer ouvida, convencer autoridades de sua "missão" e se posicionar à frente de um exército, que seguia quase cegamente suas ordens. O contexto em que o filme se passa é o da Guerra dos 100 anos, conflito entre a França e a Inglaterra, que se iniciara em 1337 e que duraria até 1453.

 

Em 1420, Henrique V, rei da Inglaterra e Carlos VI, rei da França, assinaram o Tratado de Troyes, que dizia que após a morte de seu governante a França passaria a pertencer à Inglaterra, no entanto pouco tempo após a assinatura do tratado ambos morreram e ambos os países ficaram sob o “comando” de Henrique VI, que tinha então apenas alguns meses de idade. Os franceses não aceitam a sucessão e decidem não entregar o país sem luta. Os ingleses invadem a França e tomam Compiègne, Reims e Paris. A ocupação inglesa se torna então um problema para Carlos VII (John Malkovich), o delfim (título que se dava ao sucessor na monarquia francesa), que ambicionava o trono da França. É então que Joana d`Arc (Milla Jovovich) surge trazendo consigo a esperança que os soldados do delfim precisavam, ela tinha a seu favor a prerrogativa de que estaria em uma missão que lhe fora dada por Deus. O anseio que o povo tinha pela chegada de um herói que libertasse o país do julgo inglês fez com que ela fosse rapidamente aceita e tida como uma espécie de mensageira da vitória, ela ficaria conhecida entre os mais simples como a "donzela de Orléans".

 

Desde criança Joana d`Arc foi muito ligada às questões religiosas, ela frequêntava assiduamente a igreja e se confessava quase diariamente com o padre local. Conforme mostrado no filme, no mesmo dia em que teve sua primeira visão do sobrenatural, ela testemunhou o estupro e a morte da irmã por um invasor inglês, durante muito tempo ela se culpou por este acontecimento. Na sequência que mostra este ato brutal, que está no início do filme, já fica claro aquilo que eu disse no início desta resenha: há um evidente processo de desconstrução da figura idealizada da heroína, afinal o desejo de vingança que passa a mover a partir de então não é nem um pouco nobre ou condizente com a teologia cristã. Mesmo sem se ater a nenhuma delas, o filme dá diversas outras interpretações para as visões tidas por Joana, elas poderiam ser simplesmente frutos de uma loucura ou de seu ardente desejo de vingança contra os ingleses, poderiam ser também situações banais que ganharam ares sobrenaturais ao serem percebidas por um olhar previamente condicionado.

 

Sem dúvidas o melhor atrativo de Joana d`Arc de Luc Bessom são os momentos de reflexão e de questionamentos que o roteiro explora muito bem. A sequência em que a personagem principal percebe que tinha se tornado aquilo contra o que vinha lutando é simplesmente sublime. A percepção de que vinha prestando culto mais a si mesma que a Deus chega a ser perturbadora para ela, o artifício usado para narrar isso no filme é simples, porém eficaz e muito bem elaborado. Joana interage com um personagem vivido por Dustin Hoffman, este pode representar ao mesmo tempo uma figura demoníaca, divina ou a sua própria consciência, é ele quem a leva a questionamentos profundos acerca da legitimidade e da barbárie do conflito no qual lutou e acerca de sua própria fé e personalidade. A boa atuação de Milla Jovovich, ainda que eu não concorde que ela tenha sido a escolha certa para o papel, torna quase palpável a dor e a angústia interior vivida pela personagem.

 

Por fim, o filme desmonta os significados que posteriormente atribuíram á morte de Joana. Ela deixa então de ser uma mártir para se tornar uma vítima de um contexto que ela parecia não compreender. Sua trajetória chega a se torna mesquinha à medida em que sua contribuição nas batalhas é renegada pelo seu próprio rei e sua postura é tida como herege pela sua própria igreja. Se ela era motivada tão somente pela vingança da morte da irmã, ela falhou, pois se tornou tão cruel quanto os homens que invadiu sua casa quando ela ainda era criança. Se de fato ela agia com direcionamento divino, também falhou e sua missão não foi concluída, ao menos da forma que ela esperava, suas últimas interações com a figura que lhe aparecia em visões deixa isso bem claro... O clamor de Joana d`Arc por uma última confissão confere um tom ainda mais trágico ao final do filme e a informação de que ela fora canonizada quase 500 anos depois chega a ser quase irônica... Joana d’Arc de Luc Bessom pode não ser uma obra prima, mas é no mínimo grandioso e merece ser apreciado. Recomendo!



Assistam ao trailer de Joana d’Arc de Luc Bessom

no You Tube, clique AQUI !


13 comentários:

  1. Sem dúvida, seu texto está brilhante e mostra bem as questões provocadoras e extremas desse belíssimo filme. Ao meu ver, uma pequena obra-prima. O roteiro, a fotografia, o cuidado na narrativa e atuações impressionam a gente. Você soube bem destacar as questões de toda a trama, eu sabia que faria isso, por isso te indiquei este filme. Que bom que gostou! abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sem duvidas e um otimo filme nao acha

      Excluir
  2. Um excelente filme. Já vi e gostei muito. Ao ler teu texto fique com mais vontade, ainda, de revê-lo. Um abraço...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tambem ja vi o fime e da hora tambem gostaria de revelo e vc ve se me responde ta e concordo com vc um exelente filme tchau

      Excluir
  3. Não consigo gostar da história de Joana D'Arc. Acho muito fantasiosa para o meu gosto. Das versões cinematográficas, ainda ninguém superou a de Dreyer. Essa de Besson é bela visualmente, com batalhas espetaculares e nada mais.

    O Falcão Maltês

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não sei como vc não consegue gostar do da historia e gostei da historia e do filme vc não tem culta mesmo en seu idiota

      Excluir
    2. vc e um troxa de não gostar do fime e o unico dos comentarios que nao gostou por isso deve ser o mais feio idiota e sem cultura fim kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakakkaakakakkaakakakkaka

      Excluir
    3. caro anonimo que comentou acima, eu vi 45 minutos do filme e quis dormir, me chame de sem cultura, tudo bem, mas apenas acho que ao invés de ficar chamando os outros disso, deverias crescer e aprender que cada um tem seu gosto e tu tem que respeitar isso e não xingar quem não concorda com tua opinião

      Excluir
    4. É isso ai msm seu idiota a minha opiniao q conta o resto fodase

      Excluir
  4. Baixar o Filme - Joana D'Arc - http://mcaf.ee/i9y6j

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que baixar vai comprar ou alugar ta faltanddo dinheiro na sua casa cuidado pra não pegar virus no seu pc ta se e que vc tem pc ne kkkkkkkkkkk

      Excluir
    2. Anônimo, o link passa pelo anti virus mcafee. Deixe de ser paranoico.

      Excluir
  5. oba que filme legal amei e vc amigo

    ResponderExcluir