quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Rango

Rango - 2011. Dirigido por Gore Verbinski. Escrito por John Logan, James Ward Byrkit e Gore Verbinski. Música Original de Hans Zimmer. Produzido por John B. Carls, Graham King e Gore Verbinski. Blind Wink Productions, GK Films e Nickelodeon Movies / EUA.


Rango (2011) é a primeira animação dirigida por Gore Verbinski, o cineasta por trás dos três primeiros filmes da franquia Piratas do Caribe, é também o primeiro filme animado feito com a tecnologia da Industrial Light & Magic, uma das maiores companhias de efeitos especiais da atualidade. A inexperiência no ramo, tanto de Verbinski, quanto da Industrial Light & Magic, é praticamente imperceptível. Desta parceria surgiu uma das animações mais maduras em termos de linguagem e de referências dos últimos tempos. É evidente que Rango não atinge o mesmo nível de excelência alcançado nos últimos anos por algumas das animações feitas pela Pixar, como Ratatouille (2007), Wall-E (2008) e Toy Story 3 (2010), contudo ele prova mais uma vez que produções do gênero podem ser ao mesmo tempo divertidas, criativas e inteligentes.

Rango reúne todos os atributos necessários a um bom filme de aventura: bons personagens, uma excelente trilha sonora e humor e ação na medida certa (combinação que Gore Verbinski já tinha provado ser bem sucedida com Piratas do Caribe), some a isso tudo uma história inteligente com várias referências a clássicos do western, gênero que o filme satiriza e desconstrói de forma espetacular. Rango é do tipo que agrada facilmente tanto crianças, quanto adultos. Apesar de não ter personagens bonitinhos, a história cativa os pequenos com suas ótimas cenas de ação e gags cômicas. Já os crescidinhos, principalmente os cinéfilos, se deliciarão ao identificar as inúmeras referências a outros filmes, referências estas que vão desde a trilha sonora, aos enquadramentos e até personagens.


Rango (voz de Johnny Depp), o personagem central, é um camaleão de estimação, que acaba perdido no deserto após um pequeno acidente. Ele, um aspirante a ator shakespeariano, está vivendo uma profunda crise de identidade, não sabe quem na verdade é e sequer tem um nome próprio. Após sobreviver aos perigos do deserto ele chega, como um forasteiro sem nome (uma referência à Trilogia dos Dólares de Sergio Leone), em uma “cidade” povoada por pequenas criaturas do deserto, chamada de Dirt. Ele assume então uma identidade que não corresponde a aquilo que ele realmente é, ele se passa por um justiceiro intrépido e violento e adota o nome de Rango em sua primeira interação com a população local. Dirt é assolada pela escassez da água e pela ameaça de bandidos violentos, não demora e os habitantes daquela castigada localidade passam a ver em Rango a personificação de uma última esperança.


Após um feito heroico, Rango é nomeado xerife pelo prefeito da cidade. É então que toda a população passa a ver nele a salvação pela qual tanto esperavam, eles acreditam que ele será capaz de protegê-los e de trazer a água de volta para a cidade. Rango, que se sente bem com toda a adulação que o povo lhe devota, investe tudo neste novo personagem que acabara de criar. Dentre os admiradores de Rango está Beans (ou Feijão na tradução - voz de Isla Fisher), ela é uma jovem solitária que luta para manter a posse da fazenda que fora de seu pai. Só mesmo quando todas as ameaças se tornam reais, Rango descobre que a única saída é deixar de lado o personagem e ser ele mesmo, ainda que para isso ele tenha que correr o risco de perder a admiração de todos. Toda a jornada do camaleão sem nome nesta típica vila do velho oeste é narrada na forma de canções por um trio de corujas mariachis (uma das melhores tiradas do filme), elas são um dos vários artifícios usados nas sátiras que o filme faz do faroeste como gênero.


Rango nos proporciona diversão da melhor qualidade, certamente o cinema atual estaria melhor se todos os filmes de aventura (não só as animações) alcançassem tal nível. A esperteza do roteiro está em atiçar o riso de forma inteligente e não com piadas chulas ou com tiradas já batidas. Os clichês do velho oeste, o bandido impiedoso, a donzela desamparada e a criança indefesa, no entanto estão lá para serem satirizados ou subvertidos, de forma sarcástica e muito bem humorada. Como eu disse, o filme está cheio de referências a outros clássicos do cinema, mas mesmo que você não as perceba ele funciona perfeitamente, não precisamos, por exemplo, saber quem na verdade é o “Espírito do Oeste” para compreender sua função na trama... Ao assistir ao filme, recomendo que você o faça com o áudio na versão original, pois a dublagem do personagem principal, feita por Depp é outro aspecto digno de destaque... Recomendo sem restrições!


Rango está indicado ao Oscar na categoria de Melhor Longa de Animação. No Globo de Ouro ele recebeu uma indicação na categoria de Melhor Animação, prêmio que perdeu para As Aventuras de Tintim (2011).

Assistam ao trailer de   Rango   no You Tube, clique AQUI !


30 comentários:

  1. Zé, tô magoada de vc assistir o rango sem mim. Esqueceu q a gente tinha combinado de assistir junto. AAHhhhh, Keila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Keila, eu tinha um bom motivo, é que Rango é tão violento quanto "Bastardos Inglórios", daí se eu te chamasse para assisti-lo você ia brigar comigo de novo... (brincadeira), é só combinar e eu assisto ele outra vez, sem problemas! Sem ressentimentos... rsrsrs

      Excluir
  2. Oi Bruno,

    Sem chover no molhado, mas outra exímia crítica.

    Penso que esse filme transmite esperança ou mesmo a necessidade de herois para estamos seguros. Penso também que abre espaço para o sonho e para se buscar o que se desejar ser. Como já falei, gosto de camaleão, pela possibilidade de adaptação e mudança e, não tenho, dúvida que Mateus terá as suas percepções.

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, obrigada Luciana!
      Concordo plenamente com sua interpretação e este que você citou é um aspecto muito bonito do filme!

      Excluir
  3. Esse filme é muito bom, fala da jornada que precisamos empreender para encontrar... a nós mesmos. Concordo com a sua opinião, as corujas mariachis dão um toque muito legal ao filme. Uma das melhores animações a que já assisti!!!
    Gosto da frase que o camaleão utiliza duas ou três vezes no filme: "Posso ser quem eu quiser". (apenas mais perto do final ele percebe a verdade e a essência desta frase).
    Apenas uma pequena ressalva: o linguajar de alguns personagens não é muito bom para as crianças, tanto que o filme é indicado para idade acima de 10 anos.

    Parabéns pelo post, uma crítica muito bem construída!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que deixei a classificação etária passar desapercebida (um erro grave, admito)... Este processo de descoberta pelo qual o personagem passa é muito interessante, pois mostra que na verdade não precisamos ser heróis intrépidos, precisamos apenas ter a coragem de sermos nós mesmos...

      Excluir
  4. Assisto muitos filmes, porém poucas animações.

    Gostei do trailer deste e também da sua resenha.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As animações têm evoluído muito como gênero nos últimos tempos, acredito que algumas obras estarão, num futura não muito distante, imortalizadas como clássicos, este pode não ser o caso de Rango, mas ainda assim este filme é mais uma prova cabal da evolução do gênero, no tocante à técnica e à linguagem...

      Excluir
  5. Olá, Bruno!
    Pegue seu selo Liebster (significa "querido" em alemão) na barra lateral do meu blog e passe-o para outros cinco blogs com menos de 200 seguidores.

    Bjs.
    Dani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, obrigado Danielle!
      Passarei adiante sim!

      Excluir
  6. Ola bruno,
    Eu sou fã de rango,animação muito bem produzida e inteligente. Fiquei chateado por não ter assistido ao filme no cinema quando estava em cartaz, o jeito foi alugar e assistir em casa, mas aposto que nada da magia se perdeu,o filme de encantou de maneira surpreendente,desde o visual,a trilha sonora e a performance de johnny depp.
    Otima critica.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também me arrependo de não tê-lo visto no cinema... A performance de Depp como dublador do personagem é mesmo excelente!

      Excluir
  7. Olha que animação legal, quando tava no cinema não teve tanta divulgação mas graçasa a um amigo da facul que tinha me falado sobre ele, assisti com minha mina e rachei de tanto rir. Johnny se superou !!!

    Obrigado pela visita querido amigo e moderador !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre um prazer visitar o "As Crônicas De Von Serran" Victor! Eu rachei de rir o filme, este é o tipo de humor que me empolga!

      Excluir
  8. Olá Bruno!

    Gostei de seu blog, parabéns!

    Quanto ao filme, tive a oportunidade de ver e achei bom. É como você muito bem colocou, longe de ser um Toy Story ou um Wall-E.

    Um grande abraço!

    Siga-me também:

    brevescronicas.blogspot.com

    Anselmo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita Anselmo!
      Seja sempre bem vindo!

      Excluir
  9. Olá Brunão!

    Rapaz, sou cinéfilo e desenhéfilo, hahahahhahahahahha. Ainda ontem comprei a primeira temporada dos Flintstones e das Aventuras de Penélope Charmosa, hahahahahhahahahhaha. Pareço criança assistindo desenhos. Essa crítica sua sobre o rango, me assanhou as lombrigas, agora vou ter que assistir! Hahahahahahaha. valeu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista sim André e não se esqueça de voltar aqui depois que você o ver! Vai ter um verdadeira festival da Hanna Barbera na sua casa heim... Voltar a ser criança com um bom desenho é um prazer que não tem preço né...

      Excluir
  10. Puxa!!
    Sou apaixonada por animações, mas essa eu ainda não tive oportunidade de ver!
    Obrigada pela crítica! Eu, com certeza, vou assistir!
    Beijos

    http://giselecarmona.blogspot.com/
    @giselecarmona

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista sim, você não se arrependerá Gisele!
      Beijos

      Excluir
  11. Bruno, tudo bem?
    Ótima sinopse! Estou percebendo que você está se especializando nelas, muito bom!
    Fico pensando na genialidade de quem cria esse tipo de filme/desenho que agrada tanto às crianças como aos adultos, a extensão de um roteiro e os significados, incrível isso!
    Grande abraço e obrigada pelo comentário muito inteligente lá no Humoremconto! (aliás como sempre, teus comentários sempre são inteligentes e muito bem vindos!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana Cecília,
      Pois é, como eu disse em uma das respostas acima, as animações têm evoluído muito como gênero cinematográfico, é perceptível a evolução da técnica e da linguagem... e a linguagem é este diferencial que faz com que o filme seja apreciado por diversas faixas etárias, Rango é um exemplo disso...

      Excluir
  12. Eu adorei todo este lado sarcástico e cheio de referências de Rango... Amei de paixão os Mariachis!
    Com certeza um filme que consegue divertir sem cair na mesmice, uma delícia mesmo.
    O engraçado que eu assisti ele com minha irmã e ela detestou td, não viu a menor graça... Acho que nem todos vão apreciar.. uma pena!

    Ah... amanhã eu vou postar o 12 homens e uma sentença legendado para assistir online, caso não tenha... Vale mesmo assistir!

    :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendei o filme para alguns amigos e acredite, um deles conseguiu dormir no meio da exibição, sinceramente eu não entendo isso... O filme pode não ser de fato uma unanimidade, mas é excelente!

      Excluir
  13. Ahhhhhh, sou como o André Mansim, desenhéfila também amo muito animações mas não assisti Rango, nem sei por que, fiquei interessada na época e não fui...Agora graças ao seu delicioso texto fiquei doida pra ver...rs.
    Ahhh! Assisti Megamente de novo essa semana e me lembrei de vc e da Joicy por causa da trilha sonora Rock'n Roll. Que tal uma crítica??? Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Megamente" ainda não assisti Carol, ontem eu vi "Um Gato em Paris", eu devo postar a crítica dele hoje ou amanhã, lindo demais!

      Excluir
  14. Rango foi uma das melhores animações que eu vi... sensacional!! Eu me diverti demais!!
    Abração!!
    http://www.artesdosanjos.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é ótimo mesmo, não é Jane?
      Abração pra ti também!

      Excluir
  15. Que resenha magnífica!
    Concordo em todos os aspectos, me surpreendi com a forma que a trama é desenrolada, e os clichês propositais refletindo em diversas referência de filmes que marcaram época e definiram o que chamamos hoje de "sétima arte".
    Não assisti todos indicados, mas gostei tanto que fica difícil imaginar algo superior.
    O que mais me chamou a atenção, são os personagens nada "bonitinhos",mas mesmo assim conquistando o público com personalidades cativantes, a Mrs. Beans é incrível, e a história do "mecanismo de defesa" me fez rir como criança. Quem nunca se sentiu como Rango? Tentando assumir algo que não é para atrair admiração, quando no fundo todos nós temos as nossas virtudes! Trilha Sonora e a Tecnologia empregada no filme é superior para "iniciantes" no ramo, sou um fã assumido da Pixar, e confesso que vejo concorrências de peso para os próximos "Oscars".
    Ahh, impossível não lembrar de Tarantino na Trilha e algumas cenas comicas, pois o mesmo já bebeu nesta fonte de clichês!

    Abs e nos vemos no Facebook e por aqui!
    (isso porque fui parar aqui por causa do post do filmes "UM GATO EM PARIS")

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fabio, seja sempre bem vindo!

      Eu gostei muito de "Um Gato em Paris", até o momento vejo ele como o único pálio à altura de "Rango" na disputa pelo Oscar de Melhor Longa de Animação... Rango é uma prova definitiva de que a animação como gênero pode ser ao mesmo tempo divertida e inteligente, sem ser pedante ou tender para apenas um destes vises...

      Excluir