terça-feira, 8 de março de 2011

Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos

Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos (Mujeres al Borber de Un Ataque de Nervios) - 1987. Dirigido, escrito e produzido por Pedro Almodóvar. Fografia de José Luís Alcaine. Música de Bernardo Bonezzi, C. Curet Alonso & Ventura Rodríguez. El Deseo, Laurenfilm / Espanha.


Pedro Almodóvar escolheu preencher cada um de seus longas com histórias que sempre permeiam o conturbado e fascinante universo feminino (povoado por mulheres, travestis e transexuais). A temática escolhida pelo cineasta para compor suas comédias melodramáticas não agradou a todos e até hoje ele é uma persona nom grata na Espanha, seu país de origem. No entanto seus filmes se tornaram cult no resto do mundo e o fizeram famoso pelas características marcantes de seus trabalhos, que vão do visual, com cores fortes e marcantes (cores de Almodóvar) aos temas, que geralmente abordam ressentimentos, traumas e neuroses.

Pra mim é uma grande prazer resenhar um filme de Almodóvar aqui no SUBLIME IRREALIDADE, conheci alguns de seus principais trabalhos na época da faculdade. Um amigo e eu mantínhamos um projeto de exibição de filmes na faculdade nos fim de semana, com rodas de discussão e debates sobre os temas abordados, o Cine no Campus. O sucesso inicial do projeto e a persistência dos professores coordenadores nos deram crédito junto à direção da instituição, que acatou a proposta de comprar novos títulos em DVD para a biblioteca, que já tinha alguns clássicos, daqueles lançados em coleções de revista. Algumas das felizes sugestões para a nova aquisição, foram alguns longas do diretor espanhol. E foi assim que assisti pela primeira vez: Tudo Sobre Minha Mãe (1999), Fale Com Ela (2002), Má Edução (2004) e Volver (2006).


Num período de corte de gastos, a Faculdade eliminou a Cia Teatral (da qual eu fazia parte), o projeto de leitura VaLendo (que eu também fazia parte) e o Cine no Campos. As atividades extra-curriculares ficaram para trás, mas a admiração por Almodóvar que aqueles filmes despertaram só cresceu. Em momentos distintos eu voltei a assistir alguns daqueles primeiros filmes, que pareciam me surpreender cada vez mais pela inaparente densidade de suas histórias. Assisti hoje, pela primeira vez, o clássico Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos (1987). Esta que é a primeira obra de expressão internacional do diretor, é uma ótima comédia, com um roteiro muito bem costurado e personagens excêntricos que se debatem em uma rede pequenos dramas pessoais.
.
Não há mulher perigosa sabendo-se tratá-la”, diz um taxista em determinado momento do filme, seu aforismo é comprovado pela trama, que explora o limiar da sanidade, que mulheres podem atingir quando maltratadas. Pepa (Carmem Maura) era amante de Iván (Fernando Guillén), um homem casado, com quem chegou a morar por um bom tempo, enquanto a verdadeira esposa estava internada em uma clínica de tratamento psiquiátrico. Porém, sem dar melhores explicações, Iván termina o relacionamento com Pepa e ela descobre que ele pretende viajar com uma outra mulher. Pepa, que trabalhava junto com Iván como dubladora de filmes, surta e decide colocar o apartamento em que moravam à venda para tentar esquecer o amante, mas antes ela deseja encontra-lo uma última vez para ter ao menos uma explicação condizente para o abandono repentino. 


Candela (María Barranco), amiga de Pepa, é uma moça ingênua que se envolveu com um terrorista xiita, este planejava um atentado em Madri e a usou para ter um lugar onde se refugiar na cidade, a casa dela. Quando o terrorista é preso, Candela passa temer que a polícia a acuse de ser cúmplice do ex-namorado e de seu bando, desesperada ela busca a ajuda de Pepa para tentar se livrar das possíveis acusações. Ela chega no apartamento de sua amiga no pior dia possível. Pouco depois dela, quem aparece é um jovem casal. Carlos (Antonio Banderas - no papel que lhe deu visibilidade internacional) e Marisa (Rossy de Palma – que confesso, achei à primeira vista se tratar de um dos “travestis de Almodóvar”) foram encaminhados pela imobiliária, para conhecer o apartamento, que Pepa pusera à venda. Os personagens, que ainda não se conheciam, descobrem que estão imersos na mesma teia de traições e intrigas.


Carlos, como Pepa descobre, é filho de Iván, ele acaba se abrindo com a amante do pai sobre a história de sua família e conta que pouco vê o pai e que não tem uma boa relação com a mãe, que sofria (ao que parece, ainda sobre) de distúrbios mentais. A situação, que já parecia caótica, promete se agravar quando Lúcia (Julieta Serrano), a esposa pirada de Iván e mãe de Carlos, aparece também no apartamento, decidida a matar o marido para se vingar de suas traições.

A trama, que mais parece história de novela mexicana, se desenrola através de situações absurdas e exageradas e nos conduz a um mundo de mulheres, enlouquecidas por suas paixões, ciúmes e medos e entorpecidas por calmantes e um estranho gazpacho (espécie de sopa espanhola), que ao ser “batizado” com tranquilizantes, provoca algumas das sequências mais engraçadas do filme. A perseguição que antecede o desfecho no aeroporto de Madri também é memorável e poderá render ótimas risadas.


Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos foi indicado ao Oscar, ao Globo de Ouro e ao BAFTA na categoria de Melhor Filme Estrangeiro. É uma das obras primas de Almodóvar, para quem ainda não conhece o trabalho do diretor, é uma ótima forma de entrar em seu mundo melodramático, através de uma das produções que ainda não tendiam para os temas mais polêmicos que seriam abordados em seus próximos filmes. Recomendado!

De Pedro Almodóvar, recomendo também: Tudo Sobre Minha Mãe (1999), Fale Com Ela (2002), Má Edução (2004) e Volver (2006).


Assista ao trailer de Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos no You Tube !
(clique no link)
.

2 comentários:

  1. eu queria poder ver pela internet so q ñ tem como :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é difícil encontrá-lo para download e vale a pena baixar!

      Excluir