segunda-feira, 11 de julho de 2011

O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford

O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford (The Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford)- 2007. Escrito e dirigido por Andrew Dominik, baseado no livro de Ron Hansen. Direção de Fotografia de Roger Deakins. Música Original de Nick Cave e Warren Ellis. Produzido por Jules Daly, Dede Gardner, Brad Pitt, Ridley Scott e David Valdes. Warner Bros. Pictures / USA|Canadá.

 

A narração em off é, dentre os artifícios usados no cinema, um dos que mais dividem as opiniões de cinéfilos e críticos. Muitos ainda apontam tal ferramenta como um indicativo de pobreza narrativa e da falta de uma linguagem dramática e cênica própria. Eu porém reconheço que em muitos filmes realmente acontece desta forma, mas quando bem usada a narração consegue a proeza de convergir literatura e cinema de uma forma exuberante e harmônica, o que já pode ser observado em alguns clássicos como Lavora Arcaica (2001), Hiroshima Meu Amor (1959) e Além da Linha Vermelha (1998). Em O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford (2007), a narração confere à história, baseada em fatos reais, um tom quase documental, sem no entanto perder a poética visual e literária que permeia a trama do início ao fim.

O filme tem sua trama cronologicamente situada no período em que começa a decadência de Jesse James (Brad Pitt), ele fora um dos bandidos mais famosos do oeste americano, sua trajetória como ladrão de bancos e de trens, marcada por assassinatos e pela perda de companheiros, despertou tanto a admiração, quanto o ódio de seus contemporâneos, pode-se dizer que ele foi uma verdadeira celebridade de seu tempo. No início do longa, Jesse e seu irmão mais velho, Frank James (Sam Sheppard), juntam um bando para assaltar um trem. Dentre os recrutados estão, Wood Hite (Jeremy Renner), primo dos James, Dick Liddil (Paul Schneider) e Charley Ford (Sam Rockwell). Charley tenta convencer Jesse e Frank a aceitarem seu irmão mais novo no bando. Robert Ford (Casey Affleck) tem apenas 19 anos, é uma tanto franzino e nutre uma admiração descomunal por Jesse.

 

Depois do roubo Frank decide se aposentar da bandidagem e planeja adotar a partir de então uma vida tranquila, o resto do bando se refugia por um período em uma fazenda, onde esperam a poeira abaixar para voltarem à ação. Robert Ford, chamado pelos outros de Bob continua por perto, ganhando aos poucos a confiança de Jesse. No entanto a idolatria do rapaz começa a passar dos limites, se tornando obsessiva, e James o expulsa do bando. Talvez por intuição, ou por já estar pensando no próximo roubo, Jesse decide ir visitar Ed Miller, um dos homens que participara do assalto ao trem. Ao chegar na casa de Ed, James o encontra completamente aterrorizado, como se fosse culpado de algo e temesse a vingança do antigo companheiro. Em meio a um ataque de pânico, Ed acaba contando que Jim Cummins, outro membro do grupo, planejava matar James em troca de uma recompensa. Jesse vai a caça de Jim, levando Ed consigo, mas não o encontra e por estar descontrolado e tomado pelo medo, acaba atirando em Miller pelas costas.

 

Completamente atormentado pelo medo de ser traído, entregue às autoridades e morto, Jesse James mergulha em uma profunda depressão, que vem acompanhada de uma paranoia incontrolável. O mito do bandido destemido é então desfeito, vemos James chorar e agir impulsionado não pela razão, mas por um instinto que milagrosamente acaba o tirando de algumas situações que poderiam ser fatais. Conflitos começam a surgir entre os outros membros do bando, que levariam à prisão de alguns e ao assassinato de outros. Jesse perde completamente o controle das coisas e não consegue mais se impor diante de seus subordinados a não ser pela força. Cada vez mais desconfiado das atitudes de Charley e Robert, Jesse decide mantê-los o mais perto possível e para conseguir isso, ele os convida para um grande assalto a um banco, que nunca viria a acontecer.

 

A Admiração doentia de Bob Ford por Jesse James vai sendo desfeita à medida que o rapaz vai se descobrindo incapaz de ser igual ao seu ídolo, tal sentimento, se transforma então em ódio e repulsa, quando ele descobre que boa parte daquilo que lia, quando ainda era criança, nas história sobre o bandido não passava de ficção. Temendo que em algum momento Jesse se voltasse contra ele e seu irmão e motivado pela grande recompensa oferecida pela cabeça dele, Bob se associa ao xerife local, a quem promete dar cabo do companheiro em um prazo de dez dias. Robert Ford se aproveita de um momento em que Jesse James baixara a guarda e atira nele pelas costas, dentro de sua própria casa, no dia 3 de abril de 1882. Bob se tornaria então uma celebridade instantânea, durante mais de uma ano ele viajou pelos Estados Unidos reapresentando seu feito no teatro junto com seu irmão Charley, este no entanto não conseguiria lidar com as coisas do mesmo jeito, corroído pela culpa ele acaba suicidando não muito tempo depois.

 

Rapidamente a fama de Robert Ford se esvanece e ele não consegue mais encontrar apoio nem nos parentes das vítimas de James. No dia 8 de junho de 1892, Edward Capehart O'Kelley, no intuito de vingar a morte de Jesse, entrou no bar que Bob tinha aberto e o matou com um tiro à queima roupa. De acordo com o roteiro, ao contrário do que aconteceu com James, Bob não teve uma multidão seguindo seu enterro, nem fotografias foram tiradas de seu cadáver e ele não teria nenhuma biografia sua escrita. Edward foi condenado à prisão perpétua pelo ato de vingança, mas devido à manifestações populares e foi absolvido em 3 de outubro de 1902. Esta história trágica sem heróis, talvez tenha sido a primeira, na qual uma celebridade seria vítima de um de seus admiradores mais fanáticos. Bob Ford não foi nada mais que uma dessas pessoas dignas de pena (comuns nos dias de hoje), que tentam ser aquilo que seus ídolos são, mergulhando em uma vida espelhada na vida alheia, que pode facilmente ser desfeita pela frustração.

 

O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford me lembrou bastante Além da Linha Vermelha, que assisti recentemente, pelo ritmo lento, que induz a reflexão e pela incrível beleza estética proporcionada pela fotografia. Tal como no filme de Terrence Malick, neste somos conduzidos ao até a parte mais sombria das mentes dos personagens, local onde estão encobertos traumas, dores e ressentimentos. Todo o elenco está muito bem afinado com a proposta do filme, Brad Pitt está ótimo na pele de Jesse James, o que não é nenhuma novidade, mas quem rouba a cena é o irmão mais novo de Ben Affleck, Casey conseguiu capturar em cada gesto e em cada olhar a expressão da alma de seu personagem, desde o olhar melancólico e perdido no vazio, ao comportamento mesquinho e repulsivo. Concluindo, posso dizer que este não é um filme “fácil” de assistir e acredito que ele tende a agradar mais facilmente a apreciadores do cinema de arte, do que aqueles que curtem cowboys e velho oeste. Pra mim é uma obra prima... Recomendo!


O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford foi indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante (Casey Affleck) e Melhor Fotografia.

Assistam ao trailer de O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford no You Tube,
clique AQUI !

.

4 comentários:

  1. esse filme é bacana eu tb recomendo
    http://meninos-cor-de-rosa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. parece ser um bom filme..

    se possível, visite meu blog

    www.semente-terra.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Teu blog parece ser interessante, mais tarde volto aqui pra olhar melhor e comentar!
    Estou seguindo! Segue o meu também?

    http://rejanebruck.blogspot.com
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Tra(G)etória????? Por favor, corrija. Chega a doer na vista.

    ResponderExcluir